Dia a Dia Marketing Educacional TREINAMENTOS

O que é Co-Marketing e como usá-lo na sua escola

0
Co-Marketing, como o seu nome já sugere, é um marketing compartilhado. Se trata de duas (ou mais) empresas que têm um mesmo público como alvo e alinham seus interesses e esforços para criarem, juntas, algum material de cunho publicitário que gere um impacto sobre eles que não conseguiriam obter sozinhas.

Dessa forma, essa parceria possibilita um aumento da credibilidade e reputação das empresas, a obtenção de conhecimento com a troca de informação, a redução de custos e o impacto em um novo público qualificado (escalabilidade).

Engana-se quem acredita que é um conceito novo. Ele já é praticado há algum tempo, sob outras formas. Atualmente o que muito se observa é sua crescente prática no meio digital (em sites, redes sociais, blogs etc.), assumindo diferentes formatos.

Podem ser feitos diversos materiais ricos com essa parceria, como webinars, podcasts, postagens, infográficos, e-books e muitas outras coisas.

O mais indicado é fazer Co-Marketing com empresas que ofereçam produtos e serviços relacionados ou, no máximo, complementares aos seus (e não concorrentes).

Compreendido o que é o Co-Marketing e os seus benefícios para a sua escola, vou fazer uma listinha com dicas para que você consiga realizá-lo da melhor maneira possível. Veja só!

Primeiro: a escolha de um bom parceiro

Se você for convidar uma empresa (ou foi convidado) para a prática do marketing compartilhado, é importante observar se ela:

  • Tem conteúdo de alta qualidade e conhecimento que agregue valor?
  • Tem uma audiência significativa?
  • É um parceiro de trabalho agradável?
  • É vista como referência positiva no mercado em que atua?
  • Oferece um produto ou serviço que seja relacionado ou complementar ao seu, tendo o público-alvo parecido?
  • Tem os seus objetivos com a parceria alinhados aos seus?
  • As agendas das equipes de marketing são compatíveis?

Lembre-se que a empresa não estava contando com essa parceria e provavelmente está com tarefas e prazos encurtados para entregar seus produtos e serviços, realizar suas próprias campanhas de marketing etc. Portanto, não ache que convencê-la de praticar Co-Marketing será uma tarefa fácil, uma vez que é um esforço que tem um custo para a organização e pode precisar de remanejar seus recursos e reavaliar planos anteriores.

Realize um bom planejamento

Essa empreitada realizada entre a sua escola e uma outra empresa pode ser conduzida como um projeto, com início e fim definidos, recursos, equipes, um escopo, prazos e objetivos.

Portanto, pode ser interessante usar de conceitos e ferramentas de gerenciamento de projetos, como cronogramas, alocação consciente de recursos, sequenciamento de tarefas etc.

Dessa forma, é possível avaliar as disponibilidades de ambas as equipes de marketing, os recursos que possuem disponíveis (de pessoal, equipamentos e financeiro), prazos (com alguma folga para dar segurança), objetivos etc., por meio de uma reunião de abertura de projeto; algo formal, realizado entre você, sua equipe e o time de vendas da empresa parceira.

O que considerar no planejamento?

Elaborei uma lista, uma espécie de pauta, para a reunião de planejamento inicial que você for realizar com seu futuro parceiro de Co-Marketing. É interessante pegar cada um desses itens e ir se aprofundando a nível de detalhe de informação. Esse é apenas um guia mais genérico. Vamos lá.

O quê?
1) Definição do tema: qual é o problema de nosso público que queremos resolver? Que valor a campanha irá agregar?

Para quem?
2) Para quantas pessoas se espera que o material seja distribuído? É uma base de pessoas já segmentada? É possível identificar o estágio no processo de compra dos Leads (nutrição)?
3) Qual CRM o parceiro usa? Ele é compatível com o seu? É possível integrar os dados desses leads?

Como?
4) Quais serão os meios de distribuição? Exemplos: blogs, redes sociais, Facebook Ads, Google AdWords, e-mail marketing etc.
5) Que materiais ricos e peças publicitárias serão desenvolvidos? Pode-se pensar em webinars, infográficos, e-books, podcasts, lives, vídeos, postagens bem elaboradas etc.
6) Responsabilidades: quem será o responsável pela definição dos assuntos e tópicos abordados no material, pela produção do conteúdo, ilustração e pela revisão do material?
7) Levantamento de tarefas e recursos alocados em cada uma delas (escopo);
8) Quem se responsabiliza por hospedar o conteúdo e pela landing page?

Quando?
9) Cronograma: sequenciamento de tarefas e dependências entre elas (predecessoras, sucessoras etc.);
10) Definição de prazos (duração de cada tarefa) e os recursos alocados em cada uma delas. É importante considerar um desvio-padrão nessas durações para não atrasar entregas e prejudicar as tarefas seguintes;

Quais os resultados?
11) Reúnam todos os indicadores de desempenho pertinentes que as empresas possuem para realizar uma análise mais precisa dos resultados obtidos com a campanha. Também é interessante realizar o cálculo do retorno sobre investimento (ROI) do Co-Marketing. Somente assim é possível aferir se um novo projeto será válido para ambas as empresas. Sempre considerando que essa é uma relação de ganha-ganha, onde ambos os lados devem de fato observar valor/utilidade para a parceria. Essa utilidade pode ser vista como resultado da diferença entra o benefício obtido e o custo despendido.

Muito bem! Encerramos aqui o assunto de hoje. Desejo-lhe boa sorte nas suas práticas de Co-Marketing. Com certeza as dicas de hoje vão lhe ajudar bastante.

O que você achou? Deixe-nos sua opinião abaixo.

Continue nos acompanhando 😊

Comentários

comentários

Conheça os tipos de tráfego na Internet
Crie um link para o seu número no WhatsApp em suas ofertas de cursos nas redes sociais
Leia também