Dia a Dia TREINAMENTOS

Gestor Escolar: Saiba como fazer uma autoavaliação e traçar ações de melhoria

0

A importância do trabalho de gestão escolar

Todos nós sabemos bem o quanto a gestão escolar é desafiadora, não é mesmo? Ela é a atividade que busca proporcionar a mobilização, organização, ordenação e articulação dos recursos materiais e financeiros e pessoas para promover avanços nos processos socioeducativos das instituições escolares. Os resultados esperados com a gestão é a excelência no ensino, a prevenção da evasão escolar, uma equipe motivada, pais e alunos satisfeitos e mais engajados, redução da inadimplência bem como o aumento do faturamento.

No caso de instituições de ensino, esse é um trabalho que envolve, principalmente, administração e pedagogia; duas áreas diferentes, mas que, se aliadas corretamente, darão ótimos resultados. Ele é um processo contínuo, que precisa de recorrentes ajustes e acompanhamento diário.

O que na maioria das vezes fica em segundo plano, é a capacidade e o interesse do gestor se autoavaliar. Isso acontece porque normalmente ele já está abarrotado de tarefas e cheio de indicadores para controlar. Mas isso de forma alguma pode ocorrer, pois uma gestão que não é avaliada pode levar a escola à falência.

Vamos a um exemplo! Suponha que o limite de velocidade de 100 km/h de uma rodovia seja um indicador que você, gestor, utiliza para controle. O carro que está percorrendo essa rodovia é a sua equipe, ou seja, são as pessoas que você gerencia.

O velocímetro do carro representa os indicadores, métodos e ferramentas de avaliação que você utiliza para conduzir o seu time. Só por meio da informação cedida pelo velocímetro, é que você consegue conduzir o seu carro.

A meta da sua equipe é não deixar que a velocidade passe dos 100 km/h, correto? Ela vai dedicar todos os seus esforços para isso: não passar dos 100 km/h!
Calibrar esse velocímetro, ou seja, ter a certeza de que ele está marcando a velocidade correta, é “calibrar a si mesmo”. Se o velocímetro indica a velocidade errada (ou seja, se você mede errado), de nada adianta. A meta não será atingida. Concorda?

Portanto, a autoavaliação do gestor é indispensável, pois só assim é possível inferir que a gestão está sendo conduzida da maneira correta. Isso inclui também avaliar o comportamento do gestor, sua postura e suas habilidades humanas.

Descubra porque é imprescindível para sua instituição de ensino possuir um Sistema de Gestão Escolar

Como realizar a autoavaliação


Para começar, é legal mencionar que o gestor deve desenvolver uma postura receptiva a opiniões, críticas e sugestões, sejam elas vindas de seus liderados, superiores ou clientes.

Muitos gestores ainda acreditam que ser aberto e receptivo a críticas e sugestões faz com que sua autoridade e respeito perante os liderados diminuam – um pensamento extremamente equivocado. Aceitar feedbacks e usá-los para desenvolver-se mostra que você é humilde, confiante, sabe do seu potencial e, ainda assim, sabe que sempre tem pontos a evoluir. Isso inclusive serve de exemplo aos seus subordinados.

  • Você pode começar com reuniões com as equipes, sejam elas departamentais ou com vários setores. Abra espaço nas reuniões para sugestões e críticas construtivas.
  • Outra dica é tentar livrar-se do excesso de assuntos burocráticos e usar desse tempo de sobra para visitar e participar de perto das atividades operacionais de seus subordinados com uma certa frequência. Esteja presente e observe-os trabalhar. Acredite: eles gostarão dessa atenção e o resultado será positivo.
  • Elabore alguns questionários, cada um voltado para um tipo diferente de pessoa que você se relaciona no trabalho (subordinados, superiores, outros gestores e clientes).

    Uma ferramenta interessante para isso, simples de usar e gratuita, é o Google Forms (Formulários do Google). Conheça aqui.
  • Seja um eterno estudante. O universo acadêmico produz conhecimentos com uma velocidade assustadora. NÃO ACEITE NUNCA QUE VOCÊ JÁ SABE O SUFICIENTE! Porque, de fato, não sabe. Então, faça cursos de reciclagem, de pós-graduação e especializações.
  • A última dica é: periodicamente, revise os seus métodos, ferramentas de gestão e indicadores. Faça para si mesmo as seguintes perguntas: Meus métodos e ferramentas são aderentes ao meu objetivo? Existem outros que me trarão melhores resultados? Por que eu utilizo esses indicadores de desempenho? Existem outros indicadores que eu poderia utilizar, e por quê? A maneira com que manuseio, processo e coleto os dados da escola está correta? Pode ser melhorada?

Para ajudá-lo, dê uma conferida no nosso ebook Como avaliar a gestão escolar.

E você, gestor, como vem realizando uma avaliação do seu trabalho? Compartilhe conosco nos comentários.
Continue nos acompanhando 😊

Comentários

comentários

Aumentando as Vendas neste Final de Ano
Dicas para que não ocorram erros em sua escola que te levem à falência
Leia também